HISTÓRIA DO PÃO

A alimentação é um dos atos de socialização que promovem trocas de valores, relações identitárias e prazer. Em Portugal, desde há séculos, a base da nutrição em todo território contempla o pão. O História garantiu que o pão variasse consoante as regiões e culturas, o clima e a constituição dos solos, criando um portefólio nacional rico.
O pão em Portugal é produzido, sobretudo, com o recurso a três cereais: o milho, o centeio e o trigo. Por todas as regiões, e em certas padarias, há um saber fazer, uma linguagem e um conjunto de gestos específicos herdados do passado e inovados no presente que constituem a Cultura do Pão.
Esta cultura serve de linha orientadora para todos os projetos de patrimonialização deste produto. Um produto que é, simultaneamente, um símbolo social, religioso, económico e territorial.
Os pães tradicionais fazem parte do nosso património culinário. São produtos culturais e familiares que sobrevivem enquanto resposta a uma necessidade, a uma expectativa, a um plano alimentar, gastronómico e identitário.